Feiras e Eventos Archives - Blog PastrinhoBlog Pastrinho

Inovações para o Transporte

Blog Pastrinho


Arquivo
Feiras e Eventos

DSC_0152 (800x533)

No próximo dia 12 de novembro a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística – NTC&Logística, organiza o Prêmio NTC Fornecedores do Transporte, cujo objetivo é o de estimular o aperfeiçoamento permanente do mercado fornecedor e a PASTRE foi uma das avaliadas na categoria Carrocerias ou Implementos” sendo, portanto, concorrente ao Prêmio.

O Prêmio foi instituído em 1998, e tem como objetivo premiar os melhores fornecedores de transporte de cargas do ano. A premiação é concedida a partir de uma pesquisa, realizada por instituto especializado e auditado, que atesta a seriedade do Prêmio. Este ano, a cerimônia integrará as comemorações pelo cinquentenário da entidade.

No dia 19/09 a Nova Equipamentos, representante Pastre na região de Campinas – SP, organizou um jantar com clientes da região. Durante o evento foi entregue uma placa de homenagem ao cliente E. R. G. Garbuio, por ter sido o primeiro transportador no Brasil a realizar o test drive em nosso maior lançamento, o Semirreboque Live Bottom.

A Pastre se sente honrada também em poder contar com grandes parceiros nesse tipo de ação, trabalharemos fortemente para que essa parceria se estenda por longos anos.”

Veja a participação na 14ª Festa do Caminhoneiro representada pela Stop Diesel, representante da Pastre na região de Ribeirão Preto.
A Festa aconteceu no período de 26 à 28 de Setembro.

Mercedes-Benz+Future+truck+2025

Eficiência, conectividade e muita automação. São estes os três vetores globais que guiam os projetos e as inovações dos veículos comerciais apresentados na 65ª edição do maior salão mundial do segmento, o IAA Nutzfahzeuge, realizado a cada dois anos em Hannover, Alemanha, este ano aberto ao público de 25 de setembro a 2 de outubro. “Temos aqui 322 lançamentos globais de produtos. Embora o IAA seja focado nos novos caminhões, ônibus e vans, existe grande valor agregado gerado pelos fornecedores, que é revelado por um número superlativo: eles apresentarão a maior parte das novidades, 226, e ocupam 70% dos 265 mil metros quadrados da área de exposição”, destacou Matthias Wissmann, presidente da associação alemã de fabricantes de veículos e autopeças, a VDA, que organiza o evento.

No que diz respeito à eficiência energética, boa parte dos ganhos é conhecida, veio com a adoção obrigatória da motorização Euro 6 para todos os veículos diesel na Europa a partir de janeiro de 2015. Com a concessão de incentivos para aqueles que adotassem a norma antes, caminhões e ônibus Euro 6 não são exatamente uma novidade, pois foram exaustivamente exibidos no IAA de 2012 e estão à venda na União Europeia, evitando assim maiores desastres no mercado (algo a ser aprendido pelo Brasil). “Essa façanha tecnológica representa avanço significativo na eficiência, à custa de enormes investimentos”, destaca Wissmann.

O dirigente avalia que a indústria atingiu uma espécie de teto tecnológico e, ao menos por enquanto, é difícil obter novos avanços. Ele elenca que, de agora em diante, novas reduções de consumo poderão ser atingidas por melhorias na aerodinâmica dos veículos, uso de materiais e componentes mais leves e treinamento intensivo de motoristas. Wissmann também chama a atenção para a “bem-vinda” tendência de aumentar o comprimento das composições, para levar mais carga com um só conjunto de cavalo mecânico e semirreboque.

Em relação ao controle de poluentes, os modelos Euro 6 também trazem significativo avanço. Comparados com os veículos Euro 5, as emissões dos de óxido nitroso (NOx) são 80% menores e as de particulados caíram praticamente dois terços. “Os caminhões Euro 6 se tornaram máquinas limpas”, diz. Por isso ele avalia que “a essa altura faz pouco sentido econômico ou ambiental buscar novas reduções de gases nocivos”. O que realmente importa agora, diz o dirigente, é desenvolver novas soluções para reduzir ainda mais o consumo de combustível.

ELETRIFICAÇÃO

Uma das respostas a esse desafio é a crescente eletrificação dos veículos comerciais. Quase todos os estandes da Hannover Messe têm algo a mostrar nesse sentido, sejam fabricantes ou seus fornecedores. Antes restrito a furgões urbanos de entregas e alguns ônibus de transporte público de grandes cidades, o trem-de-força elétrico começa a ganhar papel de destaque também nos caminhões pesados de longo curso.

Essa é a aposta de um dos maiores fornecedores do segmento, a ZF, que este ano apresenta em Hannover seu módulo elétrico híbrido no Innovation Truck, um protótipo extrapesado que puxa um bitrem com 25 metros de comprimento e 40 toneladas de carga. É a primeira vez que a hibridização elétrica é aplicada em um modelo deste porte, com um motor elétrico de 160 cavalos acoplado ao câmbio que funciona em paralelo à propulsão diesel. A solução ainda traz um benefício adicional: dentro dos espaços apertados para carga e descarga, o caminhão se movimenta somente com a força do motor elétrico e ainda pode ser pilotado de fora da cabine, por meio de um tablet na mão do motorista (leia mais aqui).

Em tese, a solução da ZF pode ser fornecida para qualquer fabricante que desejar compra-la. A vantagem é a redução no consumo de combustível calculada em torno de 5%. Pode parecer pouco em relação a um híbrido em uso urbano que economiza de 20% a 30%, mas os caminhões de longo curso percorrem grandes distâncias, portanto gastam muito diesel, assim a hibridização começa a valer a pena.

CONECTIVIDADE E AUTOMAÇÃO

Outro foco principal deste IAA é a conectividade, que entre outras vantagens abre caminho para maior automação dos veículos, com grande uso de sistemas avançados de assistência, incluindo a direção autônoma, em que o motorista pode deixar a condução a cargo um computador em certas circunstâncias.

É o que fez a Mercedes-Benz com o protótipo batizado Future Truck 2025, o primeiro caminhão do mundo com direção autônoma apresentado ao público. Mais do que uma visão do futuro daqui a 10 anos, trata-se de tecnologia real, pronta para uso, à espera de legislação que regule direitos e responsabilidades de uma máquina que toma decisões por si só. A combinação de sensores (radares e câmeras), computadores de bordo e atuadores eletroeletrônicos permite que o veículo entre na estrada e a partir daí faça tudo sem interferência do motorista, que nessa condição pode relaxar e consultar seus e-mails, ligar para casa ou planejar a próxima parada.

Em geral, a inteligência artificial pode trazer grandes ganhos à segurança e ao conforto, pois certas operações como frenagem, redução da velocidade e até mesmo ultrapassagens e desvios de obstáculos podem acontecer automaticamente, sem interferência do motorista. Longe de ser ficção científica, essa já é uma das atrações reais no estande da Mercedes-Benz em Hannover.

“Os veículos comerciais do futuro estarão on-line o tempo inteiro, comunicando-se com outros veículos, com a companhia transportadora e com o motorista”, diz Wissmann. Para o dirigente, na próxima década essa conectividade terá poder de controlar a condução dos caminhões em partes pré-definidas das rotas. “Isso aliviará o estresse do motorista resultante de rotinas cansativas e vai aumentar a segurança das estradas.”

Wissmann defende que todo o desenvolvimento tecnológico apenas reforça a importância do modal rodoviário para a economia global. “Apenas veículos comerciais podem carregar um frete de porta-a-porta, por isso não há como dispensar ou reduzir esse meio de transporte”, diz. Ele dá o exemplo da Alemanha, onde o número de entregas expressas (courier) subiu para 2,7 bilhões de operações por ano. “O IAA também mostra o quanto são importantes os veículos comerciais na vida cotidiana de cada indivíduo”, enfatiza.

SALÃO GIGANTE

O que não falta são empresas querendo um pedaço dos ganhos no mundo dos veículos comerciais – e a Hannover Messe representa essa competição em tamanho superlativo. Este ano o IAA Nutzfahzeuge em Hannover apresenta crescimento de 9% no número de expositores em relação a 2012: são 2.066, entre fabricantes de veículos e implementos e fornecedores de componentes e serviços de 45 países.

O salão de veículos comerciais de Hannover sempre foi um evento internacional, mas a cada edição essa vocação se aprofunda mais com a chegada de novos expositores de fora da Alemanha. Nesta edição os estrangeiros de 44 países somam 1.216 estandes e assim representam 59% do total de empresas espalhadas nos 27 pavilhões da Messe. Esse acréscimo é devido especialmente aos chineses (sempre eles), que só ficam atrás dos alemães e lideram a presença estrangeira com 200 expositores, um aumento de cerca de um terço em relação à edição de 2012. Logo atrás vêm Itália (137) e Turquia (113), outro forte emergente do segmento.

A participação crescente de mercados emergentes no consumo e na fabricação de veículos comerciais atrai o interesse do público da IAA. Tanto que este ano China e Turquia terão um dia inteiro de seminários e debates para cada país durante a realização do salão.

Do Brasil pouco se fala. Apesar de ser o primeiro ou segundo maior mercado de várias marcas europeias de caminhões e abrigar seis fabricantes da Europa, o País recebe atenção insignificante no evento, a não ser pelos lamentos dos executivos-chefes das empresas que estão surpresos e decepcionados com a queda das vendas do mercado brasileiro.

A melhor representação do Brasil no evento é o exotismo de ver caminhões e ônibus com a marca Volkswagen expostos em Hannover, agora como parte da MAN (hoje também integrante do Grupo VW), para a qual a operação foi vendida em 2009. Desde 2006 os modelos feitos em Resende (RJ) marcam presença na feira alemã como opção mais barata para países emergentes ou subdesenvolvidos.

Fonte: Automotive Business

blog-pastre-transfer-dump-race-

Nessa competição o vencedor é aquele que descarrega as duas caixas em menos tempo. O interessante é a forma que a segunda caixa é descarregada.

Assista o vídeo abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Durante os dias 5 e 8 de agosto, a Pastre esteve na feira de mineração Equipomining, que ocorreu em Santa Luzia – MG, apresentando ao mercado dois produtos de sua linha: a Caçamba Basculante Meia Cana e o seu mais recente lançamento, o Semirreboque Live Bottom.

Veja as fotos logo abaixo:

A CAÇAMBA BASCULANTE MEIA CANA já é um produto consagrado de nossa linha desde o ano de 2006 e é um produto constante no evento. Nesta edição da Equipomining, apresentaremos uma “caçamba conceito”, um projeto patenteado desenvolvido em parceria com a Votorantim Cimentos. Resume-se em uma caçamba com diversos itens opcionais customizados especialmente para este nosso parceiro, visando maiores produtividade, resistência e segurança durante a operação. Todo o nosso know how no mercado de mineração nos permitiu desenvolver este projeto único, que mostra nossa capacidade em atender não somente grandes volumes, mas também, demandas específicas de cada cliente, com níveis de exigência e qualidade altos.

O mais recente e talvez mais importante lançamento da Pastre nos últimos meses foi o SEMIRREBOQUE LIVE BOTTOM, um implemento rodoviário que promete revolucionar o mercado de transportes cargas de granéis no Brasil.

O Live Bottom foi projetado como uma alternativa aos semirreboques basculantes, principalmente do modelo “Vanderléia” (com três eixos distanciados). Com o aumento expressivo da aquisição das Vanderléias nos últimos anos, surgiram diversas variações deste modelo de basculante no mercado. Algumas fabricantes fazendo uso do oportunismo, lançaram seus modelos, muitas vezes sem contar com um estudo bem estruturado de engenharia. O resultado foram diversos acidentes com tombamentos, em todas as regiões do Brasil e, em algumas regiões, diversos embarcadores proibiram o uso das Vanderléias Basculantes, independentemente da marca.

Sempre atenta às necessidades de seus clientes, a Pastre estudou este cenário por mais de um ano até chegar à uma solução viável. Diferentemente dos Semirreboques Basculantes, o Live Bottom não faz uso do cilindro hidráulico de elevação da caixa para que ocorra o escoamento da carga, ao contrário disso, dispõe de uma correia em seu assoalho que “empurra” toda a carga para fora do implemento. Uma solução aparentemente simples, mas que, demandou um grande investimento em P&D para adaptar este implemento muito utilizado na América do Norte, às condições e necessidades do transportador brasileiro.

Como não há elevação da caixa de carga, o índice de tombamento durante a operação é reduzido a zero. Neste momento a segurança do operador é colocada em primeiro plano e resolve-se assim as proibições impostas às Vanderléias Basculantes. Bastante versátil, o Live Bottom pode ser utilizado no transporte de grãos, areia, brita, minério de ferro, calcário, entre outros. Contando com dois motores hidráulicos de baixa pressão e redutores planetários que aumentam a tração na correia transportadora, o implemento não fica devendo nada quando se fala em agilidade na descarga, que em média dura cinco minutos. Este sistema permite a utilização do comando hidráulico do caminhão trator comum aos semirreboques basculantes, ou seja, não há necessidade de nenhuma adaptação específica.

Lançado durante a Fenatran 2013 (19º Salão Internacional do Transporte), o Semirreboque Live Bottom causou um grande impacto no público presente, em toda feira não havia outro implemento rodoviário tão inovador. Porém, como é natural do ser humano, tudo que é muito diferente causa desconfiança num primeiro momento. Como a Pastre acredita muito no sucesso de seu Live Bottom – inclusive Live Bottom é hoje uma marca registrada da Pastre no Brasil – disponibilizou desde o início de 2014 duas unidades deste semirreboque para test drive. A intenção é de que os interessados na aquisição do produto sanem todas as suas dúvidas com relação ao seu funcionamento e adequação aos mais diversos tipos de transporte.

Mais uma vez a Pastre comprova sua vocação de empresa inovadora, mostrando ao mercado soluções inteligentes e acima de tudo, viáveis para o transportador rodoviário de cargas. Sem nunca perder o foco no seu cliente, mas, visando sempre a segurança e rentabilidade do negócio.

Emkt_equipomining_2

A Caçamba Basculante Meia-Cana já é um produto consagrado de nossa linha desde o ano de 2006 e é um produto constante no evento. Nesta edição da Equipomining, apresentaremos uma “caçamba conceito”, um projeto patenteado desenvolvido em parceria com a Votorantim Cimentos. Resume-se em uma caçamba com diversos itens opcionais customizados especialmente para este nosso parceiro, visando maiores produtividade, resistência e segurança durante a operação. Todo o nosso know how no mercado de mineração nos permitiu desenvolver este projeto único, que mostra nossa capacidade em atender não somente grandes volumes, mas também, demandas específicas de cada cliente, com níveis de exigência e qualidade altos.

CAÇAMBA MEIA CANA - PASTRE_VOTORANTIM

O mais recente e talvez mais importante lançamento da Pastre nos últimos meses foi o Semirreboque Live Bottom, um implemento rodoviário que promete revolucionar o mercado de transportes cargas de granéis no Brasil.

O Live Bottom foi projetado como uma alternativa aos semirreboques basculantes, principalmente do modelo “Vanderléia” (com três eixos distanciados). Com o aumento expressivo da aquisição das Vanderléias nos últimos anos, surgiram diversas variações deste modelo de basculante no mercado. Algumas fabricantes fazendo uso do oportunismo, lançaram seus modelos, muitas vezes sem contar com um estudo bem estruturado de engenharia. O resultado foram diversos acidentes com tombamentos, em todas as regiões do Brasil e, em algumas regiões, diversos embarcadores proibiram o uso das Vanderléias Basculantes, independentemente da marca.

live-bottom-pastre

Sempre atenta às necessidades de seus clientes, a Pastre estudou este cenário por mais de um ano até chegar à uma solução viável. Diferentemente dos Semirreboques Basculantes, o Live Bottom não faz uso do cilindro hidráulico de elevação da caixa para que ocorra o escoamento da carga, ao contrário disso, dispõe de uma correia em seu assoalho que “empurra” toda a carga para fora do implemento. Uma solução aparentemente simples, mas que, demandou um grande investimento em P&D para adaptar este implemento muito utilizado na América do Norte, às condições e necessidades do transportador brasileiro.

Como não há elevação da caixa de carga, o índice de tombamento durante a operação é reduzido a zero. Neste momento a segurança do operador é colocada em primeiro plano e resolve-se assim as proibições impostas às Vanderléias Basculantes. Bastante versátil, o Live Bottom pode ser utilizado no transporte de grãos, areia, brita, minério de ferro, calcário, entre outros. Contando com dois motores hidráulicos de baixa pressão e redutores planetários que aumentam a tração na correia transportadora, o implemento não fica devendo nada quando se fala em agilidade na descarga, que em média dura cinco minutos. Este sistema permite a utilização do comando hidráulico do caminhão trator comum aos semirreboques basculantes, ou seja, não há necessidade de nenhuma adaptação específica.

Lançado durante a Fenatran 2013 (19º Salão Internacional do Transporte), o Semirreboque Live Bottom causou um grande impacto no público presente, em toda feira não havia outro implemento rodoviário tão inovador. Porém, como é natural do ser humano, tudo que é muito diferente causa desconfiança num primeiro momento. Como a Pastre acredita muito no sucesso de seu Live Bottom – inclusive Live Bottom é hoje uma marca registrada da Pastre no Brasil – disponibilizou desde o início de 2014 duas unidades deste semirreboque para test drive. A intenção é de que os interessados na aquisição do produto sanem todas as suas dúvidas com relação ao seu funcionamento e adequação aos mais diversos tipos de transporte.

Mais uma vez a Pastre comprova sua vocação de empresa inovadora, mostrando ao mercado soluções inteligentes e acima de tudo, viáveis para o transportador rodoviário de cargas. Sem nunca perder o foco no seu cliente, mas, visando sempre a segurança e rentabilidade do negócio.

capa-cramaro-pastre-workshop

Na data de hoje, dia 29/05, os colaboradores da Pastre dos setores Comercial, Engenharia, Pós Venda, Controle de Qualidade e Suprimentos, participaram de um Workshop dos produtos Cramaro.

A Cramaro é uma empresa Italiana, líder mundial em coberturas automáticas para caminhões. As empresas possuem uma forte parceria tanto na utilização das coberturas automáticas, quanto no desenvolvimento de projetos especiais, assim como o exclusivo Semirreboque Multisider Pastre.

Veja abaixo o vídeo do Semirreboque Multisider Pastre e para saber mais sobre essa exclusividade, clique aqui:

O Workshop foi muito bom para unificar as informações entre os setores da empresa, esclarecendo dúvidas e fortalecendo ainda mais essa parceria de sucesso.

Confiram as fotos abaixo:

home

Uma inovação exposta na 2ª TranspoAmazônia (Feira e Congresso Internacional de Transporte e Logística), em Manaus, tem chamado a atenção dos visitantes. O modelo de dirigível ADB-3-30 está sendo apresentado pela Airship do Brasil Indústria Aeronáutica. A proposta é usar esse meio de transporte para levar cargas entre diferentes estados brasileiros e também ao interior da região amazônica.

Na feira, há um modelo em escala de 1 por 10, em relação ao que está sendo construído há cerca de um ano e meio, em São Carlos (SP). Até o final de 2015 ou início de 2016, deve ficar pronta essa primeira unidade, e a expectativa é de que o processo de homologação ocorra dois anos depois, em 2017. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) está acompanhando o desenvolvimento, o que deve dar mais agilidade aos trâmites necessários.

“Adotamos uma linha de desenvolvimento semelhante à de uma grande aeronave. Temos expectativa de que esse trabalho conjunto dê agilidade. Quando o dirigível estiver pronto, voando, deve demorar, no máximo, dois anos para certificar”, disse o diretor de relações estratégicas e institucionais da Airship do Brasil, Marcelo Felippes.

O ADB-3-30 tem capacidade para transportar de 30 a 52 toneladas e pode voar com uma velocidade de cruzeiro de 125 km/h a cerca de 1.200 pés (400 metros). A empresa não informou o valor total que está sendo investido no desenvolvimento, mas há um financiamento de R$ 110 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Uma das principais vantagens é que o dirigível permite aumentar o volume das cargas transportadas, desde que seja mantido o peso máximo permitido. Conforme destaca Felippes, ele não é um meio para se transportar grãos ou carvão mineral. Mas sim para levar produtos de alto valor agregado de um lugar a outro.

“Quando eu falo de 50 toneladas, me refiro a peso. Mas não tem problema com o volume. Em um avião, produtos como computador ou remédios ocupam muito volume e têm pouco peso. Então, o avião decola com 9 toneladas ou 6 toneladas, enquanto poderia decolar com 30 toneladas”, comentou o diretor de relações estratégicas e institucionais.

Segundo Felippes, futuramente, poderá se pensar em 125 toneladas de carga e depois em 250 toneladas. “Ele tem tecnologia de ponta, mas que se baseia em modelos de mais de cem anos, como o velho Zeppelin”, comentou.

O dirigível é movido a óleo diesel e no seu interior há gás hélio. São quatro motores a diesel e um motor elétrico. Nesse primeiro modelo, está sendo pensada uma operação entre Manaus e Goiânia em 23 horas de viagem. A tripulação terá três pessoas: dois pilotos e um mestre de cargas. Quando o dirigível chegar ao local de destino, também será necessário haver pessoas em terra para oferecer apoio, ajudando na aterrissagem e na retirada das cargas.

Outra vantagem apresentada pelo diretor de relações da Airship, é que o dirigível não precisa de pista de pouso. Há projetos em desenvolvimento de balsas para se fazer a operação de carga e descarga. “Mas eu posso sair de qualquer lugar do distrito industrial de Manaus e seguir para um lugar onde eu tenha espaço para pousar, em São Paulo, Goiânia, Brasília ou outra cidade.”

O dirigível também poderá ser útil para o transporte de cargas em áreas isoladas. Felippes disse ainda que haverá um trabalho conjunto com o Exército para atender à população do interior da Amazônia, especialmente na fronteira – não somente em relação aos produtos básicos para a sobrevivência, mas também para oferecer apoio médico e educacional. Como o equipamento não necessita de aeroporto, poderá ser útil em áreas de difícil acesso.

A Airship é especializada em desenvolver, fabricar, comercializar e operar aeronaves e soluções utilizando tecnologias mais leves que o ar (lighter than air – LTA). Está localizada em São Carlos e é uma empresa 100% nacional pertencente aos grupos Engevix e Transportes Bertolini.

Fonte: Agência CNT

Começou na tarde desta segunda-feira (05), e segue até quinta-feira, a 18ª edição da Exposafra, Feira de Negócios para Transportadores, evento promovido pela revista Caminhoneiro com apoio da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA). A expectativa é que mais de cinco mil pessoas prestigiem o evento que traz as mais recentes novidades do setor de transporte rodoviário de cargas.

O estande dos portos paranaenses, este ano, foi montado em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, Ecovia e Guarda Municipal. “Este evento vem se somar ao trabalho que temos feito com o caminhoneiro ao longo do ano. Queremos que ele se sinta bem e seja bem tratado e fazemos isso diminuindo cada vez mais o tempo de espera nas descargas e oferecendo serviços úteis”, aplica o diretor técnico da Appa, Paulinho Dalmaz.

Além de repassar informações sobre a importância de se manter a cidade limpa, no estande dos portos os caminhoneiros podem fazer aferição de pressão, cortar cabelo e receber informações sobre prevenção ao uso de drogas.

Novidades – Orivaldo Quatrini, gerente de promoção e eventos da Revista Caminhoneiro, que promove a Exposafra, disse que para este ano, a grande novidade da feira é a diversidade de caminhões disponíveis para test drive. Ao todo são seis montadoras com seus mais novos modelos disponíveis para que os caminhoneiros façam seus testes.

“Trata-se de uma oportunidade única para os caminhoneiros aproveitarem o tempo de espera para visitar empresas do setor, cuidar da saúde, realizar testes. Aqui eles podem se deparar, no mesmo cenário, com diferentes montadoras e também comparar as categorias, falar diretamente com o fabricante, tirar as suas dúvidas e, muitas vezes, realizar um negócio”, disse. Quatrini

Entre as montadoras presentes está a holandesa DAF, que instalou em Ponta Grossa sua primeira fábrica fora da Europa. Com o objetivo de ganhar mercado e cair no gosto dos caminhoneiros, a empresa está trazendo para a feira o caminhão que produz aqui no Paraná. “Trouxemos este modelo especial para viagens de longa distância e que temos certeza de que irá agradar. Nosso objetivo é tornar o nosso produto cada vez mais conhecido, uma vez que se trata de um grande desafio competir com marcas que estão no mercado brasileiro há mais de 40 anos”, afirma Rúbia Ribeiro, analista de marketing da empresa.

A 18ª Exposafra é aberta ao público em geral das 15 às 21h. até a próxima quinta-feira (08). 

Fonte: AEN PR