copa do mundo Archives - Blog PastrinhoBlog Pastrinho

Inovações para o Transporte

Blog Pastrinho


Arquivo
Tag "copa do mundo"

Caminhoneiros - Jogos da Copa do Mundo (1)

Se as ruas ficam praticamente vazias na hora do jogo, os postos de combustíveis, nas saídas da cidade, lotam. Caminhoneiros que estão longe de casa e vivem na estrada se juntam e formam verdadeiras torcidas. Se falando em Copa do Mundo, vale tudo para ver a seleção entrar em campo. Vale acompanhar a partida em um televisão minúscula, na boleia do caminhão e até com desconhecidos.

“O negócio é ver o gol”, diz Rogério Vicentini, de 42 anos. Na tarde desta terça-feira (17), ele assistiu o duelo entre Brasil e México pela tela de um GPS, no pátio de um posto localizado na BR-163, saída para São Paulo.

Melhor assim do que ouvir a narração pelo rádio, na estrada. “Parei meio dia. Não fico sem assistir. Também somos brasileiros, comenta. O verde e amarelo estava presente no boné e na camisa.

A concentração maior era dentro da conveniência, mas como a gerência não vende bebidas alcoólicas e proíbe beber dentro do espaço, Rogério preferiu ficar do lado de fora, sozinho, ao lado da latinha de cerveja.

Caminhoneiro há 25 anos, ele acompanhou as últimas Copas assim. Preferia estar com a família, em Guaíra, no Paraná, mas como não é possível, tentou aproveitar da melhor maneira: “Hoje eu fiz costelinha de porco e mandioca no almoço”, conta.

Casal de Minas Gerais, Gleison e Marilda, acompanharam duelo do Brasil com o México pela TV do caminhão. (Foto: Cleber Gellio)

Gleison Francisco dos Reis, 35, também assistiu o jogo no pátio, mas dentro da boleia do caminhão, junto com a esposa, Marilda Aparecida Magalhães, de 34 anos. “Aqui você fica tranquilo. É como se estivesse em casa”, conta o caminhoneiro, que tem 49 anos de profissão.

O casal, de Minas Gerais, está na estrada desde a última sexta-feira (13) e deve seguir viagem na noite desta terça-feira. Gleison gosta de futebol, mas prefere dirigir ao invés de assistir.

“A rodovia fica mais vazia e eu vou ouvindo pelor rádio”, afirma. “Só parei porque tenho que carregar o caminhão”, completa.

Pedro Duarte também assistiu a partida da boléia. (Foto: Cleber Gellio)

O catarinense de Içará, Pedro Duarte, de 65 anos, é torcedor declarado e também é caminhoneiro. “Já passei várias copas na boleia”, relembra. Desta vez, não foi diferente.

A TV de 14 polegadas, de plasma, própria para caminhão, estava ligada, claro, no Mundial. “É a mesma emoção”, garante.

Edson Martins, de 49 anos, comenta a mesma coisa, mas ele preferiu ver o jogo reunido, junto com desconhecidos de estrada. A bagunça é mais emocionante”, diz. É justamente a “bagunça” que incomoda o caminhoneiro Ilissandro de Camargo, que detesta futebol.

“Não posso nem ver. Tenho pavor. Isso aí é a maior perda de tempo. Tenho 1 mil quilômetros para fazer, poderia ter rodado uns 150 já, mas fiquei trancado aqui”, reclamou.

Conveniência do posto ficou lotada de torcedores que pararam para assistir o jogo. (Foto: Cleber Gellio)

O caminhão dele no meio dos outros e a maioria dos motoristas acompanhavam a partida da conveniência.

Bus at Sunset

Segundo uma estimativa da Abrati (Associação Brasileira de Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros), expectativa é que pelo menos 1,1 milhão de pessoas procurem as linhas de ônibus interestaduais, intermunicipais para se deslocar entre as cidades-sede da Copa do Mundo. Isso representa um acréscimo de 20% a 30% no fluxo de passageiros, se comparado a períodos normais de transportes.

Uma análise da entrada de estrangeiros sul-americanos no País feita pelo Depes (Departamento de Pesquisa do Ministério do Turismo) mostra que pelo menos 27% deles chegam ao Brasil por via terrestre – seja de carro ou ônibus. A maioria são argentinos, uruguaios, paraguaios além de colombianos e chilenos.

“A pesquisa sobre demanda turística internacional mostra que 49% dos turistas internacionais que vêm ao Brasil são da América do Sul”, afirma o diretor do Depes, José Francisco Lopes.

O transporte rodoviário interestadual e internacional no Brasil é responsável por uma movimentação superior a 140 milhões de usuários por ano. Segundo a Abrati, a frota de transporte de passageiros pelas rodovias ultrapassa os 16 mil ônibus que se dividem na prestação dos serviços regulares pelas empresas permissionárias e autorizadas. Já no transporte fretado, mais de 22 mil veículos estão habilitados.

Fonte: Midia Truck
blog-pastre-copadomundo-etanol-brasil-fifa
Durante a Copa do Mundo 2014, veículos da frota de apoio da FIFA, entidade máxima do futebol, serão abastecidos com etanol, combustível feito com cana-de-açúcar.
Segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), os carros flex da Hyundai, modelo HB20 Edição Copa do Mundo da FIFA™, já estão utilizando o etanol durante as viagens pelo Brasil.  A montadora coreana é a patrocinadora oficial do evento.
A FIFA, que já tem um programa ambiental para reduzir as emissões de Dióxido de Carbono (CO2) na atmosfera, está usando o combustível justamente para diminuir o impacto poluente de suas atividades.
Para o consultor em Emissões e Tecnologia da Unica, Alfred Szwarc, a iniciativa da entidade é extremamente adequada, pois o etanol de cana, quando comparado com a gasolina, reduz em até 90% as emissões de gases causadores das mudanças climáticas.
“De março de 2003, quando os veículos bicombustíveis foram introduzidos no Brasil, até março de 2014, o uso do etanol nos veículos flex da frota brasileira já evitou a emissão de aproximadamente 240 milhões de toneladas de CO2, o que corresponde a três anos de emissão deste gás por um país do porte do Chile. Já que o aquecimento global é um dos pontos de atenção do ‘Football for the Planet,’ nada melhor do que abastecer os carros com o biocombustível brasileiro.
Fonte: ABCT

blog-pastre-br-restricao-copa-mundo-2014Br-163

A restrição de veículos pesados (bitrens, rodotrens e outros) na BR-163, começou ontem, às 17h e seguiu até a zero hora, entre Rondonópolis e Cuiabá. A Polícia Rodoviária Federal informou que a medida é por causa dos jogos que acontecerão na Arena Pantanal, pois há previsão do aumento do fluxo de turistas e torcedores circulando nas rodovias que dão acesso à capital mato-grossense.

Segundo a PRF, o motorista que descumprir a determinação será multado. A infração é media, gera multa de R$ 85,13 e quatro pontos na CNH. Além disso, será obrigado a permanecer com o veículo estacionado até o final do horário de restrição.

A restrição segue hoje das 6h às 12h, na BR-163, entre Rondonópolis e Cuiabá; e nos mesmos horários de Sinop a Rondonópolis dia 13; na BR-364 de Cuiabá a Alto Garças dia 14; e novamente na 163 de Sinop a Rondonópolis dias 17, 27 e 24.

Fonte: Blogdocaminhoneiro

blog-pastre-vaitercopa-sim-google-maps

Será que o ritmo de protestos dos últimos meses tirou o gosto dos brasileiros de torcer para a Seleção? Reparei que existem muito menos ruas decoradas, calçadas e asfalto pintado, se comparmos com Copas do Mundo anteriores, mas o Google discorda que sejam poucas as manifestações da torcida brazuca.

Para mostrar as ruas que já estão coloridas e decoradas pelos torcedores, o Google Maps oferece uma versão do Street View focada nos locais com bandeirinhas e muito verde-amarelo-azul-e-branco. São casos como a Rua Pereira Nunes, no Rio de Janeiro, onde os moradores se organizam para pintar o local com as cores nacionais há 27 anos. Outras ruas de São Paulo, Belo Horizonte, Cuiabá, Salvador, Natal e Manaus também podem ser vistas na coleção de ‘Ruas Coloridas do Brasil.

Os fãs de futebol também podem aproveitar o Google Street View para conhecer o interior de todos os 12 estádios que receberão jogos do mundial – dá para conhecer o Maracanã (RJ), Arena Corinthians (SP), Mineirão (BH), Estádio Mané Garrincha (Brasília), Arena Pernambuco (Recife), Arena Fonte Nova(Salvador), Arena das Dunas (Natal), Arena da Baixada (Curitiba), Castelão(Fortaleza), Beira-Rio (Porto Alegre), Arena Pantanal (Cuiabá) e Arena da Amazônia (Manaus).

Fonte: B9

O mês de maio tende a ser muito mais movimentado que o usual para as empresas de logística – elas estão antecipando a distribuição de produtos que normalmente seria feita em junho e julho por causa da Copa do Mundo. Em muitas cidades, será feriado nos dias de jogos, o que tende a prejudicar a entrega das mercadorias.

O varejo de bens duráveis também trabalha com a possibilidade de protestos em ruas e rodovias, dificultando o acesso a pontos de venda, armazéns e à residência do cliente. Como a área de estoque nas lojas diminuiu nos últimos anos – para reduzir custos -, as entregas são feitas a partir de centros de distribuição até a casa do consumidor.

Valor apurou que grandes varejistas de eletrônicos já levantaram dados sobre as áreas de atuação de suas lojas nas cidades que terão jogos e também dos locais onde têm ocorrido manifestações contra a Copa do Mundo. Com esse mapeamento, querem contornar possíveis dificuldades nessas regiões. Além disso, o tráfego nas proximidades dos estádios deverá sofrer alterações nos dias de jogos para facilitar o acesso dos torcedores.

A preocupação com a possibilidade de atrasos e impedimentos ao transporte de produtos é maior em segmentos que não podem correr o risco de escassez ou redução da oferta, como, por exemplo, a entrega de medicamentos a hospitais. Especializada nesse segmento, a Atlas Logística programou a antecipação das entregas, particularmente daquelas previstas para semanas em que haverá jogos, disse Lauro Megale, presidente da companhia. O mesmo acontece com as empresas que transportam produtos de maior demanda durante a Copa – como bebidas, que devem ter o consumo elevado em junho e julho.

O Mundial também deve alterar o calendário de produção de alguns setores, mas varejo e indústria não acreditam que o evento terá impacto relevante sobre a atividade no segundo trimestre. Para grande parte das empresas e associações industriais ouvidas pelo Valor, abril foi morno – ainda que em alguns casos um pouco melhor do que março – e maio não deve mostrar reação expressiva, como indica o ritmo de encomendas observado até agora.

Fonte: Valor Econômico

Entre as normas que foram frisadas como obrigatórias e que devem ser respeitadas estão a tolerância zero para ingestão de álcool por condutores, o respeito à velocidade limite nas rodovias e a proibição de vidros espelhados dos veículos. A habilitação estrangeira é aceita no Brasil, desde que esteja no prazo de validade e seja indicada qual categoria de veículo o condutor está habilitado.

De acordo com a ANTT, as medidas resultaram de uma reunião realizada com representantes dos países do Mercosul, realizada no dia 20 de abril, em Foz de Iguaçu, quando foram destacadas as normas da legislação nacional de trânsito em vigor no Brasil.

Apenas os ônibus terão permissão para fazer transporte fretado, sendo que as vans não serão autorizadas a realizar este tipo de movimentação, com exceção na tríplice fronteira e do transporte particular. Neste caso, será necessário apresentar autorização do proprietário para uso de terceiros, documentos que comprovem a propriedade do veículo ou contrato de locação.

A ANTT deve apresentar um modelo para envio de informações, que deve conter o nome da empresa, a placa do veículo, a origem, a data de saída, o ponto de fronteira, o destino, a data de retorno, o roteiro (pontos intermediários) e o número de passageiros.

O Ministério do Turismo, que integra o Grupo de Trabalho de Turismo Rodoviário, junto com a ANTT, publicou uma portaria (312/2013), em vigor desde fevereiro, que estabelece normas e condições aos prestadores de serviços que realizam roteiros nacionais e internacionais por via terrestre.

Para o diretor de produtos e destinos do Ministério do Turismo, Marcelo Costa, as normas que estão sendo acordadas são importantes também para dar segurança aos visitantes que virão para a Copa. “É bom que os turistas e torcedores conheçam as normas existentes de transporte e suas regulamentações, e que eles busquem sempre os serviços que estão legalmente organizados para evitar que sejam barrados nas rodovias e não consigam chegar aos seus destinos”, afirma.

Fonte: Correio da Ilha