rodovias Archives - Blog PastrinhoBlog Pastrinho

Inovações para o Transporte

Blog Pastrinho


Arquivo
Tag "rodovias"

blog-pastre-rodovias-antt

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) está recebendo sugestões públicas sobre as novas concessões de rodovias federais. A primeira Tomada de Subsídios de 2014 refere-se a quatro trechos: BR-163/230/MT/PA, entre Sinop e Porto Miritituba; BR-364/060/MT/GO, entre Rondonópolis e Goiânia; a BR-364/GO/MG, entre Jataí e a entrada da BR-153; e BR-476/153/282/480/PR/SC, entre Lapa e Chapecó, na divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul. 

Estudos iniciais, realizados pela EPL (Empresa de Planejamento e Logística) já indicam as melhorias mínimas necessárias nas rodovias a serem concedidas, como duplicação das vias, retornos, vias marginais, interseções, contornos, passarelas e iluminação. 

Depois, as indicações da EPL e as sugestões públicas serão utilizados na elaboração de estudos dos projetos pelas empresas interessadas em assumirem a administração das pistas. 

As contribuições podem ser enviadas até as 18h do dia 1º de agosto (horário de Brasília), por meio de formulário disponível no site www.antt.gov.br. Também é possível encaminhar as sugestões por via postal para o endereço da Agência: SCES Trecho 3, Polo 8, Lote 10, Projeto Orla, Bloco C, 1º andar, Superintendência de Exploração de Infraestrutura Rodoviária (SUINF).

As novas concessões foram anunciadas em janeiro de 2014. 

Com informações da ANTT.

Fonte: Agência CNT

pastre-blog-pastrinho-tunel-animais

Mais de 60 passagens de fauna das Rodovias Raposo Tavares e João Baptista Cabral Rennó vão ser reformadas ou construídas, conforme informa a Concessionária Auto Raposo Tavares (Cart), que administra as estradas.

De acordo com a Cart, especialistas afirmam que a principal causa de morte de animais vertebrados no Brasil é o atropelamento. As passagens de fauna são túneis construídos ou adaptados sob o asfalto para evitar que os animais cruzem a pista.

Ainda segundo a concessionária, nos pontos de incidência de animais de médio e grande porte, também são fixadas telas dos dois lados da rodovia, formando uma barreira que guia o animal até a passagem segura debaixo da pista.

“Alguns túneis já existiam e vão ser reformados, mas outros novos serão construídos. A escolha dos pontos foi feita a partir de um levantamento realizado durante cinco anos pela Cart, que mostrou a concentração das maiores incidências de animais atropelados. Também foi levado em consideração um estudo do ecossistema da região, que apontou onde as populações de mamíferos e répteis são maiores – em geral, perto de rios”, explica a concessionária.

Na Rodovia Raposo Tavares serão construídos ou adaptados 54 pontos de passagem. Entre os quilômetros 471 e 542 (de Maracaí a Regente Feijó), a obra já está na fase de instalação das telas. Já entre os quilômetros 576 e 654 (de Álvares Machado a Presidente Epitácio), os túneis ainda estão sendo construídos ou adaptados. Neste trecho ainda, são previstas mais 226 secções nas barreiras “New Jersey” (que separam as pistas), para possibilitar a travessia de animais que eventualmente adentrem a pista de rolamento. A previsão é de que as obras terminem até o final de 2014.

Na rodovia João Baptista Cabral Rennó, outras sete passagens de fauna serão entregues até 2015.

Sinalização

Dentro do projeto Passagem de Fauna, a CART considerou também o reforço da sinalização na rodovia e vai instalar placas de advertência do tipo “Animais Selvagens” locadas entre 50 e 80 metros das proximidades das regiões com maior incidência de animais. Conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro, estas placas advertem aos condutores da possibilidade de presença, adiante, de animais nas pistas. E o dever do motorista é reduzir a velocidade no trecho.

Ao avistar algum animal na pista, algumas dicas podem ser seguidas. Não é indicado buzinar ou acender o farol alto, já que a reação do animal é imprevisível. O motorista também deve reduzir a velocidade e ultrapassá-lo pelas costas. Por fim, pode comunicar a Cart pelo telefone 0800 773 0090. A concessionária possui viaturas e equipes treinadas para resgatar os animais e soltá-los em segurança na natureza.

Fonte: Ifronteira

pastre-blog-pastrinho-mapa-rodoviario-pr

O Governo do Paraná, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), atualizou o mapa rodoviário, com informações detalhadas das estradas estaduais e federais. O novo mapa mostra com a máxima definição os trechos de rodovias estaduais. Com imagens retiradas de satélite, o mapa permite mais exatidão de cada trecho, dos quase 12 mil quilômetros de rodovias do Estado.

“Esse ano, aperfeiçoamos o mapa rodoviário e implantamos os setores ferroviário, aeroviário e hidroviário. O que irá ajudar todo o setor de transporte, as escolas e população”, afirma o diretor do DER, Nelson Leal Junior.

TRECHOS DUPLICADOS – Nesta nova versão do mapa rodoviário, todos os trechos foram analisados e atualizados, se necessário. Os novos trechos que estão sendo duplicados pelo Governo do Paraná, já estão atualizados na versão desse ano.

No verso do mapa, as pessoas podem consultar os perímetros urbanos e metropolitanos das cidades de Curitiba, Londrina, Maringá, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Paranaguá e Ponta Grossa, e suas respectivas rodovias. O mapa inclui também a localização de todos os aeroportos e balsas públicas, além da divisão das superintendências e escritórios regionais do DER-PR.

A nova ferramenta permite a localização de pontos importantes do Estado, pois traz informações rodoviárias precisas, que podem ser utilizadas em base para aplicativos GPS, como “Waze”.

INFORMAÇÕES- Ao todo, foram produzidos sete mil mapas políticos rodoviários e mil aeroportuários. A nova versão foi distribuída para as secretarias estaduais, prefeituras, Correios, escritórios do DER e Ferroeste.

As escolas ou cidadãos que quiserem adquirir um mapa atualizado, podem entrar em contato pelo telefone: (41) 3304-8535.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:

www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr

Fonte: Agência de Notícias

pastre-blog-pastrinho-pesagem-rodoviaria

Nem só de rodovias mal conservadas é feito o gargalo rodoviário brasileiro. As condições de fiscalização também são responsáveis pela lentidão do transporte de carga nas estradas. O controle de peso, fundamental para a segurança e conservação das rodovias, é lento e pouco eficiente. Estima-se que a frota nacional de carga fique parada 800 horas por ano nos postos de pesagem. Em 2012, foram cerca de 10,8 milhões de veículos fiscalizados no país quanto ao peso e foram feitas 528 mil autuações. Até julho de 2013, haviam sido aproximadamente 6 milhões de verificações e 359 mil notificações.

Para acelerar o processo, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) vem implementando o Plano Nacional de Pesagem. Em sua primeira etapa, foram instaladas 73 novas balanças: 42 fixas, com operação 24 horas por dia, e 31 móveis, que operam 8 horas diárias. Outros 94 postos fixos e 67 móveis estão previstos para a segunda etapa do plano, mas a licitação foi suspensa pela Controladoria Geral da União.

Para Bruno Batista, diretor-executivo da Confederação Nacional dos Transportes, a implementação rápida do plano é importante para dar mais eficiência às rodovias e aliviar o gasto nas estradas federais. “Se isso é feito com eficiência, o escoamento da produção fica mais rápido e sobram mais recursos para obras de manutenção e expansão da malha”, diz.

Batista, no entanto, considera que o esforço ainda é insuficiente para atender à demanda do país. “Em 2013, havia apenas 117 balanças em operação para mais de 60 mil quilômetros de rodovias federais, e sem controle de desvios”, lamenta. “E pelo ritmo histórico de execução do orçamento, infelizmente, não estamos otimistas.”

O DNIT avalia que a primeira etapa do Plano Nacional de Pesagem foi positiva, apesar das falhas apontadas na operação pelas auditorias da CGU e do Tribunal de Contas da União. Segundo o departamento, foram justamente os prós e contras da primeira fase que permitiram desenvolver um novo conceito de fiscalização de peso, o Piaf (Postos Integrados Automatizados de Fiscalização). “O Brasil será o primeiro país a adotar o conceito de automatização e de monitoramento e operação através de Centros de Controle Operacionais para os processos de fiscalização do excesso de peso”, informa o DNIT.

O sistema permitirá fiscalizar veículos em movimento, na velocidade de operação definida para o segmento a ser fiscalizado – ônibus ou caminhão. Com isso, 93% da frota de veículos de carga e ônibus, que hoje trafegam dentro do limite de peso permitido, não precisarão reduzir a velocidade para ser fiscalizados. Somente veículos com sobrepeso serão dirigidos ao pátio de fiscalização. A expectativa do DNIT é fiscalizar 100% da frota circulante nos corredores onde o novo modelo será implantado, permitindo concentrar esforços nos veículos que de fato apresentam algum tipo de problema.

Com o Piaf, também será possível aumentar a velocidade dos veículos nas balanças de pesagem, de 5 Km/h para 12 Km/h, o que facilitará o processo. “É difícil manter uma velocidade tão baixa de forma constante nas pesagens”, diz Rogério Cunha, presidente da Associação do Transporte Rodoviário do Brasil.

Fonte: Valor Econômico

O feriadão do Dia do Trabalhador vem com a promessa de estradas cheias novamente. Assim, a partir das 14h desta quarta, a Polícia Rodoviária coloca nas ruas uma operação especial para reforçar a segurança nas rodovias estaduais – só pelo Sistema Anchieta-Imigrantes devem passar até 370 mil carros.

Na ação estadual, serão empregados diariamente 1,6 mil policiais em 700 viaturas dos cinco batalhões de Polícia Militar Rodoviária, além de policiais do Grupamento de Radiopatrulha Aérea.

A fiscalização da velocidade dos carros nas rodovias será feita por meio de 61 radares móveis inteligentes – que podem ser utilizados de dentro da viatura, mesmo em movimento -, 125 radares portáteis e 93 fixos, além de sistemas integrados de câmeras.

A Polícia Rodoviária contará com 349 bafômetros para a realização de testes de embriaguez da Operação Direção Segura, que também serão usados em ocorrências de acidentes.

A ação, que vai até a meia-noite de domingo (4 de maio), tem como objetivo evitar acidentes e garantir a fluidez do trânsito.

A PM alerta que o motorista que for flagrado dirigindo embriagado será multado em R$ 1.915,40 e poderá ter o veículo apreendido e a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) retida por 12 meses. O condutor terá ainda que responder criminalmente a uma pena de seis meses a três anos de prisão.

Casa segura / Para quem pretende viajar durante o feriado prolongado, a Polícia Militar recomenda cuidados especiais com a casa. Avisar os vizinhos de que sua família estará fora é útil e poderá evitar que sua casa seja furtada, por exemplo.

Muita gente

A Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, estima que entre 250 mil e 370 mil veículos devem descer a serra pelas rodovias do Sistema Anchieta-Imigrantes durante o feriado do Dia do Trabalhador, o 1° de Maio.

faixas estarão  abertas no sentido Litoral e três  no sentido Capital hoje à tarde.

Para o 7×3

Nessa operação, a pista Norte da Anchieta, que normalmente opera no sentido São Paulo, será invertida e usada também para descida. Na quinta-feira (1), de 0h às 3h e das 6h às 17h59, entra em vigor novamente a Operação Descida. Para facilitar o retorno à Capital, das 16h de sábado até a 1h de domingo, a Ecovias deve trabalhar com a Operação Subida 2×8.

Imagine uma pista de milhares de quilômetros sem buracos, pedágios ou engarrafamentos, conectando três grandes regiões de um dos maiores países do mundo. Uma via que pudesse ser igualmente utilizada para transporte de passageiros e de carga. E que, além disso, fosse totalmente ecológica e não precisasse de um centavo sequer para construir.

Agora pense que essa via já existe e que, nos últimos 50 anos, vem sendo cada vez menos usada. E que, no lugar dela, a população use estradas perigosas, em más condições, cheias de motoristas exaustos de dirigir por horas.

E, para acrescentar um detalhe: tudo isso ocorre em uma das regiões mais pobres de um país onde se gastam US$ 31,6 bilhões por ano em transporte, cifra que representa quase 40% do custo nacional de logística.

Não é a Rússia nem a China: é o Brasil.

Como resultado de uma estratégia, adotada nos anos 1960, de priorizar as rodovias no desenvolvimento do interior, o Brasil apresenta hoje 214.000 quilômetros de rodovias pavimentadas e 1,3 milhão de quilômetros de vias não pavimentadas. As ferrovias somam 30.000 quilômetros. Já de hidrovias, são apenas 13.000 quilômetros.

“Essa foi uma escolha feita quando o Brasil ainda não era a potência agrícola de hoje”, lembra Júlio Cézar Busato, presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia, no nordeste brasileiro.

Mas agora volta a ganhar corpo a ideia de usar os enormes rios brasileiros para levar passageiros e carga, a uma fração do custo do transporte por terra e com a possibilidade de integrá-los a sistemas já existentes.

Um dos rios onde essa filosofia começará a ser colocada em prática é justamente a enorme via – sem pedágios nem engarrafamentos – descrita no começo deste texto: o Rio São Francisco, no nordeste brasileiro. Ele se estende por 2.830 km, dos quais 1.300 são navegáveis.

Quem depende do Velho Chico para sobreviver aposta em uma iniciativa capaz de inspirar o resto do país e a América Latina: recuperar a navegabilidade do rio.

Duas das principais cidades banhadas pelo rio, as vizinhas Juazeiro e Petrolina, mostram que a missão não será fácil. Na primeira cidade, chama a atenção um porto que jamais foi usado. Na outra, o porto funciona, mas apresenta cada vez mais dificuldades para a Icofort, única empresa que ainda transporta produtos no local.

Fonte: El Pais Brasil