veículos Archives - Blog PastrinhoBlog Pastrinho

Inovações para o Transporte

Blog Pastrinho


Arquivo
Tag "veículos"

caminhoes_de_carga_porto_de_santos

Mesmo com o recuo nas cotações das commodities, o governo espera elevar em 6,2% as exportações nacionais de grãos neste ano. Isso porque a desvalorização de 18% no preço da soja é parcialmente compensada pela alta de 15% na cotação do dólar, explicou ontem a ministra da Agricultura, Kátia Abreu. “Não tenho preocupação em relação ao comércio exterior”, garantiu.

Kátia Abreu e os ministros dos Portos, Edinho Araújo, e dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, anunciaram ontem (13) medidas para evitar que o escoamento da nova safra seja marcado por filas de caminhões nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). Mesmo não sendo a opção mais econômica, as duas instalações ainda são as mais utilizadas para a exportação de grãos no País.

Para esses dois terminais, o governo promete aperfeiçoar o sistema de agendamento que, no ano passado, ajudou a reduzir o custo do frete em 7%, segundo cálculos oficiais. De manual, o sistema passará a ser eletrônico. O governo também promete credenciar mais um pátio para que os caminhões aguardem autorização até ingressar nos terminais. “Essa iniciativa lançada no ano passado deu resultados positivos”, disse Edinho Araújo. A ministra Kátia Abreu estimou uma economia de 70% na taxa paga às embarcações pela demora no carregamento.

Nos portos do Norte, o problema é acesso aos terminais. Uma das principais vias, a BR-163, ainda não está totalmente asfaltada até o porto fluvial de Miritituba (PA). O asfaltamento dessa rodovia se arrasta há 40 anos, como reconheceu o secretário executivo dos Transportes, Anivaldo Vale. As obras de pavimentação estão contratadas, mas estima-se que só estejam concluídas no fim de 2016. Por ora, o governo lançará mão de soluções paliativas, como o cascalhamento da via e a oferta de tratores para desencalhar caminhões.

O governo deverá também ampliar as áreas disponíveis no porto de Vila do Conde (PA), próximo de Belém, para a construção de novos terminais privados. Está na Casa Civil da Presidência uma minuta de decreto presidencial modificando a demarcação de área (chamada “poligonal”), de forma que poderão ser implantados mais três ou quatro terminais privados na área.

O plano do governo prevê ações integradas das três pastas para enfrentar o desafio de exportar parte das 202 milhões de toneladas de grãos previstas para a safra 2014/2015. A estimativa é de que apenas o complexo soja seja responsável pelo embarque de 64,2 milhões de toneladas de grão e farelo neste ano.

Entre as ações anunciadas pelos ministros está a utilização de 426 embarcações nas hidrovias Madeira e Tapajós. As barcaças compõem o sistema de transporte do chamado Arco Norte, corredor logístico que o governo tenta fomentar na região para reduzir a pressão sobre os portos de Santos e Paranaguá.

Fonte: Frotacia

placa-mercosul

Nesta quinta-feira (4), o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) apresentou o novo modelo de placa veicular, que entrará em vigor no Mercosul em janeiro de 2016, por meio da Resolução 510, publicada no Diário Oficial da União.

As novas placas prometem ser mais seguras e conter dispositivos para dificultar a sua falsificação ou produção clandestina. No Brasil, a clonagem de placas veiculares é elevada. Além da sua utilização criminosa por quadrilhas de roubos de veículos, há inúmeros casos de proprietários que utilizam placas frias para driblar a fiscalização eletrônica e, assim, evitar as multas de trânsito.

O coordenador Rone Barbosa explicou que futuramente será possível uma integração entre os dados dos países do grupo Mercosul. “Essa ação permitirá um controle mais rigoroso do transporte de cargas, transporte de passageiros e também de carros particulares entre esses países”, afirmou.

placa-mercosul-auto

As novas placas terão o fundo branco, com quatro letras e três números, utilizadas na maioria dos países devido ao contraste com a combinação alfanumérica, o que permite melhor visualização e leitura pela fiscalização eletrônica.

A categoria dos veículos será indicada pela cor da combinação alfanumérica: particular (preta), comercial/aprendizagem (vermelha), oficial (azul), experiência (verde), diplomático (dourado) e colecionador (prateado). Será utilizado um filme na cor da categoria dos veículos com inscrições de segurança.

placa-mercosul-moto

Atualmente, as placas de identificação veicular são produzidas livremente e sem qualquer controle na sua forma semiacabada. Depois, são vendidas para pequenas e médias empresas credenciadas pelos Detran’s que estampam e pintam a numeração alfanumérica. As placas semiacabadas do Mercosul serão fabricadas por empresas credenciadas pelo Denatran. Estas empresas, integradas ao Denatran, serão responsáveis por controlar sistematicamente o uso de cada chapa.

Não haverá troca de placas dos veículos já emplacados no Brasil. As novas placas do padrão Mercosul serão obrigatórias a partir de 01/01/2016 para os veículos novos, aqueles transferidos de município e com troca de categoria.

Fonte: Carplace

pastre-blog-financiamento-veiculos

O total de recursos liberados para financiamento de veículos durante os três primeiros meses de 2014 foi de R$ 27,6 bilhões, 7% superior ao mesmo período de 2013, quando foram concedidos R$ 25,1 bilhões. Considerando apenas março, nota-se uma pequena queda na liberação de recursos, com R$ 8,3 bilhões concedidos, ante R$ 8,8 bilhões, no exercício anterior. Esta diferença deve-se principalmente pela quantidade menor de dias uteis deste ano, devido o feriado de Carnaval.

O saldo das carteiras de financiamentos apresentou quedas consecutivas durante os três primeiros meses de 2014, segundo o boletim mensal da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras). Importante ressaltar que, apesar das retrações, o saldo do crédito para aquisição de veículos pelas pessoas físicas e jurídicas corresponde a 4,5% do PIB. As carteiras de CDC e Leasing fecharam o primeiro trimestre em R$ 223,1 bilhões, após a queda de 1,1 ponto percentual em março.

Segundo Décio Carbonari, presidente da ANEF, a queda no saldo de financiamentos não está atrelada à queda no número de propostas aprovadas. “O setor utilizou promoções, como as de taxa zero, fator que diminuiu o valor médio dos financiamentos e teve grande impacto no saldo. A política adotada pelas montadoras ao subsidiar taxas menores provoca esta queda no saldo, mas torna o financiamento mais atraente e tende a estimular a venda de veículos.”

Outra boa notícia para o terceiro mês do ano foi a manutenção do índice que registra o não pagamento com mais de 90 dias. A inadimplência no setor automotivo teve queda de 0,1 p.p. em março, chegando a 5%, no CDC para pessoa física. Os atrasos inferiores a 90 dias, apesar de não representarem inadimplência, apontaram alta e preocupam. Também em CDC para pessoa física, passaram de 7,5%, em fevereiro, para 8,4% em março, o maior índice desde maio de 2013, quando atingiu 8,5%.

Para Carbonari, as consecutivas quedas são motivos para comemoração, mas não para acomodação. “Apesar das constantes baixas na inadimplência, permance a preocupação para que o endividamento não volte a crescer e o número de atrasos não retorne aos patamares anteriores.”

Juros

As taxas de juros apresentaram-se estáveis em março. A ponderação média utilizada pelo mercado, para pessoa física, teve ligeira queda, passando de 1,8% a.m. e 23,9% a.a. para 1,77% a.m. e 23,5% a.a., respectivamente. As taxas praticadas pelas associadas da ANEF se mantiveram em 1,35% a.m. e 17,46% a.a. A Selic, que iniciou o exercício em 0,84% a.m. e 10,50% a.a., não sofreram grandes oscilações no mês e seguiram em 0,85% a.m. e 10,75% a.a.

Planos e prazos de financiamento

Nos contratos firmados em março, os planos máximos oferecidos pelos bancos foram de 60 meses, mas a média manteve-se em 42, assim como em igual mês de 2013.

Modalidades de pagamento

Durante o primeiro trimestre, 52% das vendas de veículos e comerciais leves foram efetuadas por CDC. A segunda modalidade mais utilizada foi o pagamento à vista, que representou 38%, seguido pelo Consórcio, 8%, e vendas por meio de Leasing, com apenas 2%.

No segmento de caminhões e ônibus, 71% foram adquiridos com pagamento via Finame; 14% à vista; 11% por CDC; 2% por Consórcio; e 2% utilizando Leasing e Finame Leasing. Na aquisição de motos, as modalidades de pagamento foram divididas entre Consórcio, 36%, CDC, 32%, e pagamento à vista, 32%.

Sobre a ANEF

Fundada em 1993, a ANEF representa as suas marcas associadas junto aos órgãos do governo, de entidades de classe e associações congêneres, divulga, esclarece e presta informações, tanto à imprensa quanto aos consumidores em geral, sobre as modalidades de financiamentos – CDC (Crédito Direto ao Consumidor), Finame, Leasing e Consórcio –, nos segmentos de automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas. A entidade representa, hoje, 15 marcas e suas respectivas estruturas de serviços financeiros, incluindo bancos, empresas de arrendamento mercantil e administradoras de consórcios vinculados à indústria automotiva.

Fonte: Segs

De acordo com informações da CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito),há comportamentos por parte de condutores que podem gerar multas, de nível médio até gravíssimo. Infrações de trânsito são definidas conforme Artigos presentes no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Talvez a multa com maior gravidade, entre a lista das infrações referentes aos comportamentos irregulares de condutores, seja o ato de dirigir com álcool no sague ou sob o efeito de drogas psicoativas alucinógena.

Tal fato é de nível gravíssimo, multiplicado por dez, o que implica em multa deR$ 1.915,40, além do recolhimento da CNH que fica suspensa por doze meses.Para recuperar o documento se faz preciso reiniciar processo de habilitaçãodesde o início.

Outro tipo de multa do tipo gravíssima se encontra em permitir com que pessoas sem condições físicas ou psicológicas trafeguem com veículos.Proprietários que autorizam perdem sete pontos na carteira e precisam pagar quantia de R$ 191,54. Condutores que trafegam com crianças, sem tomar medidas de segurança, têm punição semelhante, com a diferença no adicional da recolha do veículo.

Entre as infrações de condutores mais popular está o cinto de segurança. Quem não usa o instrumento de defesa corre risco de receber multa grave, que se equivale em cinco pontos na CNH, além da recolha do veículo e custo de R$ 127,69.

Regras do trânsito indicam que condutores devem estar com capacidade física e mental para trafegar com veículo de maneira regular. Quem não tem condições momentâneas não pode assumir a direção, do contrário, corre risco de recebe infração média que custa R$ 85,13 e quatro pontos no prontuário.

Atirar objetos na pista gera o mesmo tipo de infração, assim como trafegar com veículo ao usar apenas uma das mãos, celular, fones de ouvido, braços fora da janela, coisas entre as pernas de condutores ou calçado impróprio / inseguro.

Fonte: Melhor Carro

Com o objetivo de facilitar o tráfego de veículos de passeio e evitar acidentes nas rodovias estaduais goianas durante o feriado prolongado da Semana Santa, a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) vai restringir a circulação de veículos pesados em onze trechos. A medida será adotada em rodovias que dão acesso aos principais destinos turísticos do Estado.

De acordo com a Agetop, na sexta-feira (18/4), das 7h às 20h, e na segunda-feira (21/4), feriado de Tiradentes, não poderão trafegar veículos do tipo Bi-trem 7 eixos, Romeu e Julieta, Rodo-trem, Tri-trem, Treminhão, Bi-trem 9 eixos, Cegonheira, Linha de Eixos, e veículos que exigem escolta. A decisão não se aplica a veículos com produtos perecíveis, como leite e seus derivados, frigoríficos e de frutas e verduras.

A ideia da restrição é evitar congestionamentos e acidentes, já que durante o feriado aumento o fluxo de veículos de passeios nas estradas. Segundo a Agetop, o  condutor que desrespeitar a determinação comete infração média, que prevê a aplicação de multa.

A determinação propõe garantir segurança aos usuários quando ocorre significativo aumento do fluxo de veículos de passeio e ônibus durante feriados prolongados, nas rodovias goianas. Com isso os congestionamentos podem ser evitados, os riscos de acidentes minimizados e a fluidez no trânsito aumentada. O condutor que desrespeitar a determinação comete infração média, que prevê a aplicação de multa.

Trechos com restrição:

GO-020 – Goiânia / Bela Vista / Pires do Rio

GO-217 – BR-153 / Piracanjuba / Caldas Novas

GO-139 – Caldas Novas / Corumbaíba / Divisa Goiás- Minas Gerais

GO-139 – Entroncamento GO-020 / Cristianópolis / Entrocamento GO-217

GO-330 – Pires do Rio / Catalão / Três Ranchos

GO-431 – BR-153 / Pirenópolis

GO-338 – Entroncamento BR-060 / Abadiânia / Planalmira / Pirenópolis

GO-225 – Entroncamento BR-414 / Corumbá / Pirenópolis

GO-070 – Inhumas / Itaberaí / Cidade de Goiás

GO-010 – Luziânia/ Vianópolis

GO-139 – Vianópolis/ Entroncamento GO-217 /Piracanjuba

 

Fonte: Portal Rádio Rio Vermelho